quarta-feira, 18 de maio de 2011

Happy Birthday


De que estranha ideia eu nasci, feito pra durar a eternidade temendo a morte, chorar a vida? Que insensato objetivo me compele, senão o que não tenho, o que não vi, o que não posso? Quem me definiu, me projetou pra ser assim, tão perdedor de mim mesmo, tão juiz e tão carrasco?

Que arremedo de personagem é esse que eu sou, que tem coração de donzela sonhadora em alma de madrasta má, involucrados em corpo de ogro? Que herói é esse que não beija nunca a mocinha, não salva o mundo e ainda morre mil vezes antes do final? 

Que demagoga poesia é essa que eu tenho, que devaneia em ebriedade mas é covarde como um funcionário público? Que é mais manqué do que o Nabokov, mais gauche do que o Drummond, mais vencida do que o dos Anjos, neta do carbono e do amoníaco?

Que caminho é esse que eu devo traçar, por onde devo ir e o que devo fazer depois que chegar lá? Quantas velas devo soprar, quantas datas devo comemorar e de quantas vitórias devo me vangloriar? Quantas cicatrizes devo colecionar, quais medos devo conservar e quando devo apostar no amor?

Parabéns pra você. Nesta data querida.

9 comentários:

Valdicéia Mendonça disse...

Muito bom seu blog.
Estarei te seguindo, me segue também.
Bom dia!!!

Marcelo Faccenda disse...

Não sou muito bom desse negócio de blogue... Onde eu acho o seu? Bom dia!

Camila disse...

Quantas perguntas, hein?! Acho que todas elas deveriam ser objetos de estudo da filosofia, aquela empírica mesmo porque pra essas coisas a ciência dá voltas em círculos pequenos. Talvez a epistemologia dê jeito, talvez não. Talvez a metafísica explique algumas coisas também, mas acho muito realista. E, no fundo, Aristóteles, Platão, Nietzche, Freud, Woody Allen, e sei lá mais quantos loucos ( como você) consiguiram formular tantas outras perguntas sem respostas como essas suas...

Parabéns pelo aniversário. :)

Camila disse...

*conseguiram, né?! "consiguiram" é coisa da cachaça...hahaha

Camila disse...

E como escreveu Kundera:

"São precisamente as perguntas para as quais não há resposta que marcam os limites das possibilidades humanas e que traçam as fronteiras de nossa existência." [Kundera]

Marcelo Faccenda disse...

Nem tinha visto o "consiguiram", culpa da minha cachaça tb. Tenha vergonha na cara e apareça na nossa comemoração ou me ligue pra mandar um beijo. E sobre toda essa questão de perguntas, eu digo "bosta pra todos eles": Platão, Nietzsche, Neném Prancha, etc. A vida não tem nada a ver com formular perguntas, mas sim com entender que viver é simplesmente a única resposta. E eu adoro o Kundera, mas é outro masturbador intelectual (como eu)... :o)

lu guedes disse...

quanto mais aniversários, mais dúvidas. e maior a certeza de que a resposta é o menos importante.

enfim, parabéns pra você, e que você não perca nunca a capacidade de formular as perguntas :*

IZABEL TELES disse...

Gentem, estou impressionada com os seus textos... fantásticos!!! Amei!!! Acho que vc eh a Clarice Lispector na versão masculina, rsss.

Marcelo Faccenda disse...

Ahahahahah!!! Acho que é bem menos, mas adorei o elogio, ainda mais vindo de vc... :o)