segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Overture


Ai, minha amada, quando tu vieres me encontrar, não me busques olhando para o alto, porque lá tu encontrarás somente os que voam, e saibas que tenho os pés melancolicamente ancorados à terra. Não demores tua vista nos pedestais das praças, nos obeliscos, nos monumentos, pois estes são reservados apenas aos heróis da pátria, e tudo que pude fazer foi tentar ser eminente em minha própria vida. Não folheies os mapas, os livros de História, porque tu sabes bem que eles foram escritos por aqueles que ganharam as guerras, e minhas batalhas foram miseravelmente ridículas para figurarem entre vitórias.

Se tu quiseres me achar, amada minha, procura-me nos olhos dos meus filhos, nas lágrimas dos familiares, pois foi a eles que atingi com mais ardor com os labéus da minha existência. Tu me encontrarás mais facilmente entalhado no coração dos que amei do que nos bustos dos panteões do mundo. Busca-me no farfalhar das asas das borboletas de teu próprio estômago, nas tuas mãos transpirantes, que me perceberás com mais facilidade do que nos cartazes dos musicais ou nos créditos finais dos filmes. Não esperes ouvir meu nome nos Caetanos, nos Nerudas, nos malditos, pois ele só estará presente quando os Joões fremirem, quando as Marias chorarem.

Melhor será ainda - amiga querida - que não necessites campear-me. Quando a vida cansar de evitar-nos, tu me acharás logo ali, sentado próximo ao lugar comum, abancado no centro de onde tu nunca pensastes em investigar. E aí serão escritas as nossas histórias, erigidas as nossas estátuas, crescerão as nossas asas. Exatamente como tu nunca esperastes, e como eu jamais soube escrever.

10 comentários:

A menina dona do diário disse...

ual... que texto tão perfeito... você mesmo que escreve?
#seguindo... siga-me também em: http://dmulekiitah.blogspot.com/

Marcelo Faccenda disse...

Que bom que vc gostou, sou eu que escrevo sim... Anotei seu endereço pra ler seu blogue agoran as férias... :o)

Anônimo disse...

Mas se quando eu chegar, você não reconhecer em mim aquela que procuras????

Marcelo Faccenda disse...

Eheheheheh... Mas vc não acredita que quando for pra acontecer, nós nos reconheceremos de qualquer forma? Mas uma coisa que ajudaria seria colocar seu nome... :o)

Anônimo disse...

Não quero estragar a surpresa...
kakakakaka

A menina dona do diário disse...

Obrigada por me seguir :)

feliz Natal e que o Menino Jesus lhe traga muita paz, saúde, felicidades e inspiração para que vc continue escrevendo esses BELOS textos *-*

lu guedes disse...

sempre bom, marcelo :)

Marcelo Faccenda disse...

Eheheheheh... Valeu, Lu!

Camila disse...

é...

Marcelo Faccenda disse...

é? :o)