quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Sunset Boulevard

Era um bingo, amada.

Lembra daquela estrutura suntuosa, de gosto duvidoso, com escudos zulus e uma estátua iorubá enorme na fachada frontal, que - ao passarmos em frente a ela de táxi pela 23 de maio, em São Paulo - chegamos a achar que era um centro cultural ou um museu de arte africana?

Era só um bingo. Seu nome era Imperatriz 23 (afinal ele ficava na 23 de maio) e, pelo que soube, entre interdições e liminares, funcionou como um dos maiores bingos da América Latina por menos de três meses, mais algumas semanas como casa de shows. Depois de tudo, foi isolado por uma trincheira de blocos de concreto e está lá abandonado até hoje. É só um monumento ao passado.

No fim das contas, talvez tenha sido isso que aconteceu com nosso amor. Fizemos do nosso casebre Fallingwater House. Da nossa pequena aventura Out of Africa.

Os lençóis, as toalhas, os livros e os CDs, as mesas de centro, talvez não passassem mesmo disso, mobília barata. As viagens inesquecíveis, as palpitações, as borboletas no estômago, o suor na palma das mãos, hoje parecem meros sintomas de pânico, se perderam no seu medo e na minha incapacidade.

Nosso amor não sobreviveu à mediocridade da vida real. Aquilo que era pra ser a maior paixão do mundo, o amor de seres tão perfeitos, não aguentou os problemas cotidianos. Ninguém mora na Fallingwater, não existe Out of Africa, e todo mundo sabe que os museus foram feitos pra verem milhares de gerações passarem, mas não acomodam uma simples família.

Nosso amor virou aquela coisa enorme, mostruosa, dificil de dirigir e impossível de manter. Um titanic mantendo impávido sua rota rumo ao iceberg.

O que parecia o amor de um mundo, era só um bingo. Uma catedral decadente. Quem dera fosse só um casebre...

6 comentários:

Heliovna disse...

Excelente texto, mas me preocupa um bocado saber que esse assunto ainda mexe tanto contigo...

Marcelo Faccenda disse...

Não sei dizer se mexe, mas faz parte de mim, não posso negar.. Esse texto é meio antigo, mas veio novamente à tona agora que passei em Sampa antes de viajar... Mas não se preocupe comigo, eu sempre dou um jeito... beijo!

Bilu disse...

Prezado Marcello

Seu texto é excelente...
Informando que este imóvel não está abandonado, continua sendo mantido com limpesa, ajardinamento,
funcionou como Bingo Imperatriz 23 por 02 anos e nunca funcionou como casa de shows.
Qto a decoração, gostaria de salientar que todas as peças ali instaladas são oriundas de pesquisas da cultura africana.
Democraticamente tem que não goste, mas esta é a arte da vida, conviver com o contrário as nossas escolhas.
A atividade Bingo em discussão no Congresso Nacional para aprovação de Lei gera 300 mil empregos e cerca de 7 bilhões em tributos.
No Projeto consta controle em tempo real pela Cx Econ Federal, Receita Federal e COAF.
A Org. Mundial Turismo composta por mais de 130 Países possui Regulamentação deste segmento, menos em 2 países: Brasil e Cuba.
Globalização é para ser assistida ou praticada? Abçs
Bilu Villela
Pres. Sind. Empresas Bingo Est. SPaulo - SEBESP

Marcelo Faccenda disse...

Caro(a) Bilu,

Obrigado pelo comentário, as referências ao bingo são meramente metafóricas, foram utilizadas apenas como pano de fundo para o assunt pincipal, razão pela qual, conforme digo no texto, são na base do "ouvi dizer" e não têm compromisso informativo algum.
De qualquer forma, agradeço as colocações.

Paulo Edson disse...

"Nosso amor não sobreviveu à mediocridade da vida real. Aquilo que era pra ser a maior paixão do mundo, o amor de seres tão perfeitos, não aguentou os problemas cotidianos."

Esse trecho está genial!!! Fiquei impressionado. Além, é claro!, da precisão absoluta com a qual você atinge a fatal realidade. É excelente viver o amor cotidianamente, mas torná-lo sempre retumbante é que é a questão.

Abs!!

PE

Marcelo Faccenda disse...

Pois é, compadre.. No fundo vale o que está escrito: "Eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida"...

Abração!